De volta à Venezuela, Chávez atinge 4 milhões de seguidores no Twitter

CARACAS - Depois de passar dois meses em tratamento contra o câncer em Cuba, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, voltou na segunda-feira a Caracas, e o governo anunciou que sua conta no Twitter chegou a 4 milhões de seguidores.

DANIEL WALLIS, Reuters

19 de fevereiro de 2013 | 08h44

Chávez, de 58 anos, foi levado a um hospital militar depois de desembarcar. Não foram divulgados novos detalhes sobre seu estado de saúde, e não houve imagens de seu desembarque. Autoridades dizem que sua condição continua delicada.

Geralmente loquaz, o líder socialista tem agora dificuldades para falar, pois respira por um tubo traqueal. Mas ele é desde abril de 2010 um usuário apaixonado e regular do Twitter, e sempre estimula outros líderes latino-americanos a criarem contas no microblog.

Sua conta, a @chavezcandanga, rapidamente atraiu fãs, detratores ou meros curiosos querendo ver como seus longos discursos e sua inflamada retórica antiamericana funcionavam dentro dos limites de 140 caracteres de cada mensagem no Twitter.

Mas, à medida que enfrentava o câncer e se submetia a semanas de exaustivas quimioterapias e radioterapias, ele passou a tuitar com frequência cada vez menor, e parou de vez em 1o de novembro. Na segunda-feira de manhã, ele voltou.

"Eram 4h30, 5h. Ele chegou ao seu quarto e surpreendeu a todos: rá-tá-tá, ele mandou três ou quatro mensagens, e naquele momento fogos de artifício começaram a estourar no país inteiro", disse o vice-presidente Nicolás Maduro em uma reunião ministerial transmitida pela TV.

Durante o dia, acrescentou Maduro, o número de seguidores do presidente disparou para bem acima de 4 milhões.

"É incrível, em poucas horas... ele é o segundo presidente mais seguido do mundo (atrás de Barack Obama, dos EUA), e o primeiro se fizermos a comparação per capita (entre as populações governadas)."

Obama tem mais de 27 milhões de seguidores no Twitter, e é a quinta personalidade mais popular do microblog. Chávez ocupa a 190a posição no total.

Maduro disse que a seguidora de número 4 milhões é Alemar Jimenez, 20 anos, moradora do bairro pobre de San Juan, no centro de Caracas -- perto do hospital militar onde Chávez foi internado horas antes.

"Ela é parte da geração dourada da juventude que apoia a pátria e que espera com crescente amor pelo comandante Hugo Chávez", disse Maduro antes de apresentar uma aturdida Jimenez às câmeras e lhe dar um ramalhete de flores.

(Reportagem adicional de Diego Ore)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELACHAVEZTWITTER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.