Dean alcança categoria 2 e ameaça território mexicano

Centro Nacional de Furacões prevê que furacão deve tocar terra até às 14 horas desta quarta-feira

Agências internacionais,

22 de agosto de 2007 | 13h05

O furacão Dean ganhou intensidade nesta quarta-feira, 22,  e alcançou a categoria 2, com ventos de até 160 km/h, durante a passagem pela baía de Campeche, antes de tocar terra "dentro de algumas horas" na região de Tuxpan (Veracruz), também no México. Veja Também:O rastro do furacão Dean Furacão Dean castiga plataformas no Golfo do México Dean pode ganhar força quando voltar para o mar, diz relatórioNo último boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês), divulgado às 12h (de Brasília), os meteorologistas de Miami afirmaram que o Dean chegou à categoria 2 na escala de intensidade Saffir-Simpson, que vai até 5.O furacão apresentava na ocasião ventos máximos de 160 km/h, com rajadas ainda mais fortes, e a expectativa é de que sua intensidade não aumente de forma substancial antes de tocar terra nesta quarta "perto de Tuxpan, dentro de aproximadamente três horas", disse um meteorologista do NHC.O Dean ingressou ontem em solo mexicano pela península mexicana de Yucatán como um furacão de categoria 5, arrancando árvores pela raiz, derrubando torres de distribuição de energia elétrica e destelhando casas, mas poupando em grande parte as estâncias turísticas da Riviera Maia. Nesta quarta, não havia informações sobre vítimas, apesar da intensidade do furacão. Bastante enfraquecido pelo contato com a terra, o Dean atravessou a Península de Yucatán e entrou pela Baía de Campeche, no sul do Golfo do México, onde há mais de cem plataformas de petróleo e três portos de exportação.O fenômeno se desloca pela baía de Campeche em sentido oeste-noroeste a uma velocidade de 30 km/h, e a previsão é de que mantenha essa trajetória até que toque terra perto de Tuxpan, no estado de Veracruz, acrescentou o NHC.O olho do furacão se encontra na latitude 20,6 graus norte e na longitude 96,3 graus oeste, cerca de 155 quilômetros ao norte de Veracruz e cerca de 125 quilômetros ao leste-sudeste de Tuxpan.O governo do México suspendeu o alerta de furacão (passagem do fenômeno em 24 horas) para o leste de Coatzacoalcos, mas mantém o aviso ao longo do Golfo do México, do norte de Coatzcoalcos até La Cruz.Segue em vigor também na costa um alerta de tempestade, do norte de La Cruz até a baía de Algodones, perto da fronteira com os Estados Unidos.O Dean já deixou pelo menos 13 mortos - quatro no Haiti, dois em Dominica, um em Santa Lúcia, quatro na República Dominicana e dois na Jamaica. Dois pescadores dominicanos seguem desaparecidos, e milhares de pessoas tiveram de ser evacuadas ou buscar refúgio durante a passagem do furacão.O Dean causou danos estimados de forma preliminar em cerca de US$ 44 milhões em Dominica e Santa Lúcia, após arrasar grande parte das infra-estruturas locais e ocasionar estragos no setor agrícola, segundo relatórios oficiais. DesastreO Serviço Meteorológico Nacional (SMN) do México advertiu sobre possíveis cheias nos rios e deslizamentos de terra no leste do país, em conseqüência das intensas chuvas que precedem a chegada do furacão."O centro e o leste do país são muito montanhosos (...) Há muitas regiões suscetíveis a inundações", disse a meteorologista Mónica Jiménez, do SMN.De acordo com a meteorologista, é muito provável que o Dean volte a atingir o território mexicano por volta de 14h (16h de Brasília), em algum ponto localizado entre Tuxpan e Ribeira Rica, em Veracruz.No entanto, Jiménez lembrou que muitas nuvens já podem ser vistas nas regiões de Tamaulipas, Nuevo Leon, no centro do país e inclusive na capital mexicana."Hoje e amanhã (quinta-feira), a zona de risco abrangerá todo o leste do país, assim como o centro, o sul e o sudeste", acrescentou Jiménez. O céu está claro na península de Yucatán, a mais afetada pelo Dean na terça-feira. Os riscos em Veracruz, o estado com mais rios do México, se localizam nas zonas montanhosas e no leito dos cursos fluviais, que "tendem a subir de nível", constituindo uma ameaça para a população da região.Dos 212 municípios do estado, 167 foram declarados em estado de emergência, indicou o governador Fidel Herrera."Veracruz está preparada, organizada, mobilizada e atenta ao desenvolvimento deste fenômeno meteorológico", assinalou.Segundo fontes oficiais, cerca de 50 mil pessoas foram evacuadas até agora nessa região, onde espera-se que caiam entre 50 e 250 litros de água por metro quadrado por dia.

Tudo o que sabemos sobre:
Furacão DeanMéxico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.