Decisão do Equador sobre asilo político a Assange é iminente--TV

O vice-chanceler do Equador, Marco Albuja, afirmou que seu governo espera tomar uma decisão sobre o pedido de asilo feito pelo fundador do WikiLeaks, Julian Assange, dentro das próximas 24 horas, afirmou a emissora australiana de TV ABC nesta quinta-feira.

REUTERS

21 de junho de 2012 | 09h50

Assange, que se refugiou na embaixada do Equador em Londres em busca do asilo, pode ser preso caso viole os termos da condicional imposta enquanto ele luta contra tentativas da Suécia de conseguir sua extradição, de acordo com a polícia britânica.

"Ainda não podemos fazer a decisão final pública até amanhã", afirmou o vice-ministro de Relações Exteriores, segundo a ABC. "O governo nacional está considerando sua posição e o presidente dará suas instruções amanhã."

Assange, um ex-hacker de computador australiano, está refugiado na embaixada equatoriana em Londres desde terça-feira.

Ele enfureceu os EUA em 2010, quando seu site WikiLeaks publicou documentos diplomáticos secretos norte-americanos, e afirma temer que possa ser enviado para lá, onde sua vida pode estar em risco.

Na quarta-feira, o presidente do Equador, Rafael Correa, disse que autoridades levariam "o quanto fosse necessário" antes de fazer uma decisão sobre o pedido de Assange.

Promotores suecos querem questioná-lo sobre acusações de estupro e assédio sexual feitas por duas mulheres, ex-voluntárias do WikiLeaks, em 2010. Assange afirma que fez sexo consensual com elas.

(Reportagem de Lincoln Feast)

Mais conteúdo sobre:
EQUADORASSANGEASILO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.