Depois do caos, aeroporto de Buenos Aires volta ao normal

Na 6ª e no sábado, passageiros furiosos com falta de informação depredaram guichês da Aerolíneas Argentinas

Ariel Palácios, de O Estado de S. Paulo,

14 de janeiro de 2008 | 12h47

O Aeroporto Internacional de Ezeiza, em Buenos Aires, está voltando lentamente à normalidade, após cinco jornadas de caos e demoras de mais de 48 horas em alguns vôos. Os principais problemas aconteceram nas partidas e chegadas da Aerolíneas Argentinas, que embora seja uma empresa de capital espanhol é a maior companhia aérea do país, por conta de disputas salariais entre os funcionários da companhia, que paralisaram suas atividades. Os vôos da Aerolíneas Argentinas, pivô do caos de Ezeiza, começaram a ser regularizados ao longo do domingo, 13. Nesta segunda-feira, 14, os vôos estavam partindo para o exterior, mas com atrasos de até 12 horas. Ao contrário da sexta-feira e sábado, no domingo e nesta segunda não foram registrados incidentes entre os passageiros e os funcionários da empresa. Nos dois primeiros dias os passageiros, furiosos com a falta de explicações por parte da Aerolíneas, depredaram os guichês da empresa no hall do aeroporto. Os funcionários da empresa, em pânico, desapareceram das instalações em Ezeiza, argumentando que não possuíam condições de segurança no trabalho. No sábado, o pior dia, a paralisação das atividades dos funcionários dos guichês foi agravada com uma greve de pilotos e dos funcionários que transportavam a bagagem. No domingo, depois que a polícia colocou grades de proteção para impedir novos incidentes, os funcionários voltaram ao trabalho. Mas os analistas não descartam que os conflitos retornem nos próximos dias, já que a Aerolíneas é o alvo de problemas de ordem sindical. No total, sete sindicatos diferentes fazem exigências e negociações salariais de forma separada. Mas, enquanto em Ezeiza, o maior aeroporto da Argentina, a situação voltava ao normal, o Aeroparque, o aeroporto metropolitano de Buenos Aires, que é o maior centro de vôos internos do país, começava a registrar problemas nesta segunda. Segundo porta-vozes da Aerolíneas, no Aeroparque estavam ocorrendo atrasos nas partidas dos vôos. Dois vôos haviam sido cancelados nesta segunda.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaEzeizacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.