Derrota na eleição mexicana faz presidente do PAN renunciar

Germán Martínez deixa a direção do partido do presidente Felipe Calderón, após perder maioria na Câmara

Efe

07 de julho de 2009 | 00h57

O presidente do Partido da Ação Nacional (PAN), da situação, Germán Martínez, anunciou nesta segunda-feira, 6, sua renúncia ao cargo, um dia depois das eleições legislativas federais mexicanas, em que sua legenda sofreu um forte golpe, ao perder a maioria na Câmara dos Deputados.

 

"Minha gestão não alcançou o êxito esperado", disse Martínez, ao reconhecer a derrota do PAN no pleito deste domingo, do qual saiu vencedor o oposicionista Partido Revolucionário Institucional (PRI).

 

O político afirmou à imprensa que convocará uma reunião do Conselho Nacional do PAN para, num prazo de 30 dias, escolher o seu sucessor à frente da agremiação. "São de minha responsabilidade todos e cada um dos resultados eleitorais", admitiu Martínez, que é presidente do PAN desde 8 de dezembro de 2007.

 

História

 

O PRI governou o México ininterruptamente por cerca de 70 anos. A hegemonia durou entre 1929 e 2000, quando foi desbancado do poder pelo PAN que, com Vicente Fox, conquistou a presidência do país - trunfo referendado mais tarde, em 2006, com a eleição do atual presidente, Felipe Calderón, que tem mandato até 2012.

 

As eleições do último fim de semana - cujos resultados ainda são preliminares - são uma prova da força e da organização dos partidos mexicanos, que já fazem planos para os comícios presidenciais de 2012.

 

Os resultados oficias das eleições legislativas federais do México serão conhecidos no próximo domingo, pelo Instituto Federal Eleitoral (IFE).

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoPANPRIeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.