Deslizamento pode ter soterrado até 150 pessoas na Colômbia

Cerca de 50 casas foram tomadas pela terra; incidente foi provocado pelas chuvas

Efe,

06 de dezembro de 2010 | 03h39

Voluntários ajudam nos resgates após o deslizamento.

 

BOGOTÁ - Cerca de 150 pessoas podem estar soterradas por um deslizamento de terra, provocado pelas fortes chuvas que caem na Colômbia, na localidade La Gabriela, de Bello, próxima a Medellín (noroeste), disse o diretor do Departamento Administrativo para a Prevenção, Atendimento e Recuperação de Desastres, Freddy Rendón.

 

O funcionário reconheceu que, por enquanto, é difícil determinar o número certo de vítimas. Para ajudar na identificação das vítimas, familiares fornecem nomes e sobrenomes de 145 pessoas que estavam nas casas no momento do deslizamento de terra.

 

O número de desaparecidos, explicou Rendón, sai de um censo realizado conjuntamente com a Cruz Vermelha e outros organismos que ajudam a atender a tragédia da qual já se recuperou um corpo e outras sete pessoas vivas.

 

O deslizamento quase sepultou completamente o bairro de La Gabriela, que fica na encosta de uma montanha, justo em uma curva da estrada que liga Bogotá com Medellín.

 

Os moradores escutaram um grande estrondo e pouco depois foram cegados por uma nuvem de pó, que lhes manteve sem visibilidade durante um bom tempo até que puderam observar que a montanha literalmente tinha vindo abaixo.

 

No local da tragédia havia uma obra aparentemente de alargamento da estrada, assim como uma região onde se depositavam escombros. Rendón acrescentou que o presidente Juan Manuel Santos ligou imediatamente para o governador de Antioquia, Luis Alfredo Ramos, e não descartou que visite Bello.

 

Ao explicar as causas da tragédia, disse que em consequência "da saturação de água na montanha uma massa de terra se desprendeu", ao informar que os trabalhos de resgate continuarão durante toda a noite "sempre e quando o clima permitir". Como medida preventiva cerca de 30 famílias foram evacuadas do setor e de alguns outros bairros limites.

 

Nos trabalhos de resgate participam cerca de 200 pessoas entre membros da comunidade, Cruz Vermelha, Defesa Civil, Polícia e Exército, que trabalham em turnos e sem utilizar maquinaria pesada perante a esperança de encontrar sobreviventes, acrescentou Rendón.

 

As fortes chuvas que caem na Colômbia há semanas, que tiraram até agora a vida de 174 pessoas, afetam a maioria das cidades do país, entre eles Antioquia, onde fica Bello, localidade na qual não tinha parado de chover nas últimas 12 horas.

Tudo o que sabemos sobre:
TragédiadeslizamentoColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.