Dez pessoas morrem asfixiados em boate no México

Eles tentavam sair de um boate que seria vistoriada pela Polícia

EFE

21 de junho de 2008 | 01h17

Sete jovens e três policiais morreram nesta sexta-feira asfixiados ao tentar sair de uma boate durante uma operação da Polícia na Cidade do México, informaram fontes oficiais. Outros 20 jovens estão feridos, três deles com gravidade, e 39 foram detidos por "alteração da ordem pública". "Mais de mil pessoas que estavam na boate News Divine, no norte da Cidade do México tentaram sair em fuga precipitada, o que provocou a morte dos jovens e dos policiais", disse o secretário de Segurança Pública da Cidade do México, Joel Ortega. A Polícia realizava uma operação para revisar as condições em que funcionava o local, levando a administração a anunciar, pelo sistema de som da boate, sobre a presença das tropas, o que provocou caos entre os jovens. Ortega assinalou que no incidente morreram dois policiais e um agente judicial, além de sete participantes da festa. Em um primeiro momento, Ortega dissera se tratar de cinco jovens e dois menores de idade, mas posteriormente revelou que os policiais ainda investigam a idade dos falecidos. A festa marcava o fim das aulas de um curso de ensino médio, e por isso os policiais acreditam que muitos adolescentes podiam estar presentes.O funcionário explicou que a operação se deu após várias ligações nas quais se denunciava que no local eram vendidas drogas e álcool a menores. "Estamos realmente consternados por esta tragédia", afirmou Ortega, assinalando que 39 pessoas se encontram detidas e que já se iniciaram as investigações para determinar a responsabilidade penal pelo ocorrido. As primeiras investigações estabelecem que a discoteca não contava com saídas de emergência, e por isso o estabelecimento será fechado. "Vamos realizar a investigação, mas o responsável foi o dono da discoteca, que não tinha as saídas de emergência", indicou o delegado Francisco Chiguil. O local permanece cercado por centenas d policiais, ambulâncias, e corpos de segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.