Direita pode vencer eleição no Chile após 20 anos, diz pesquisa

Candidato tem 44,1% da preferência contra 31% de ex-presidente apoiado pela coalizão de Michele Bachelet

09 de dezembro de 2009 | 14h45

O candidato da oposição direitista do Chile, Sebastián Piñera, tem 13 pontos porcentuais de vantagem sobre o ex-presidente, Eduardo Frei, apoiado pela coalizão de centro-esquerda da presidente Michele Bachelet. Segundo uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 9, Piñera tem 44,1% das intenções contra 31% de Frei. O independente Marco Enríquez-Ominami tem 17,7%.

 

Nas projeções para o segundo turno, Piñera teria 49% das intenções contra 32% de Frei. No cenário no qual seu oponente é Enríquez-Ominami, o conservador venceria por 47% a 35%.

 

Segundo o diretor da pesquisa, Carlos Hunneus, a direita tem as melhores condições desde a redemocratização, em 1990, de assumir o poder. Piñera tem chances, inclusive, de levar a disputa ainda no primeiro turno. Na pesquisa espontânea, Piñera tem 56% da preferência, Frei, 22% e Enríquez-Ominnami, 8%.

 

A pesquisa foi feita com 1,2 mil pessoas entre 24 de novembro e 5 de dezembro e tem margem de erro de três pontos porcentuais.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições no ChilePiñeraFrei

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.