Dissidente cubano preso morre durante greve de fome

O dissidente cubano Wilmar Villar Mendoza, de 31 anos, morreu na quinta-feira em consequência de problemas de saúde causados por 56 dias de greve de fome na prisão e, segundo oposicionistas, por maus tratos por parte do governo, disseram ativistas de Cuba pró-direitos humanos.

REUTERS

20 de janeiro de 2012 | 07h17

Villar iniciou a greve de fome logo após ter sido preso, em novembro, julgado e sentenciado a 4 anos de prisão por crimes que incluem desobediência, resistência e delitos contra o Estado, disse o dirigente do grupo Comissão Cubana pelos Direitos Humanos, Elizardo Sánchez.

Tudo o que sabemos sobre:
CUBADISSIDENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.