Alejandro Ernesto/Efe
Alejandro Ernesto/Efe

Dissidentes pedem que Lula ajude a libertar presos em Cuba

Segundo ativistas, medida evitaria morte de jornalista em greve de fome contra prisões políticas na ilha

estadao.com.br,

09 de março de 2010 | 16h43

Um grupo de dissidentes cubanos pediu nesta terça-feira, 9, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que interceda pela libertação de 20 presos políticos na ilha de Fidel e Raúl Castro. Desta maneira, dizem os opositores, a morte do jornalista anticastrista Guillermo Fariñas, que faz greve de fome pela soltura dos ativistas, seria evitada.

Veja também:

link Prisões desumanas levam a greve de fome em Cuba, diz HRW

blog Radar Global: O pedreiro 'radical' que desafiou o regime

"Cremos que o senhor possa interceder junto ao governo de Cuba para pôr fim a uma situação que, além de tudo, atrapalha os esforços para estruturar uma autêntica comunidade de Estados latino-americanos e caribenhos centrada nos direitos de seus cidadãos", dizem os dissidentes em carta aberta a Lula.

"A influência regional do Brasil, sua confiança no potencial transformador da sociedade democrática e seu conceito de paciência estratégica podem ajudar para que Cuba comece a compartilhar níveis mundiais de direitos humanos", finaliza o texto, assinado pelo recém-criado Comitê Para Libertação dos Prisioneiros Políticos Cubanos Orlando Zapata.

Fariñas, de 48 anos, começou o jejum voluntário no último dia 24 em sua casa exigindo a libertação de 24 prisioneiros com estado de saúde grave. O protesto começou um dia depois da morte do dissidente Orlando Zapata, vítima de uma greve de fome de 85 dias, que coincidiu com a visita de Lula à ilha.  Na segunda-feira, o diário oficial Granma disse que a ação de Fariñas é uma chantagem inaceitável.

Tudo o que sabemos sobre:
CubadissidentesLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.