Dois estudantes morreram em ato antichavista, diz governador

Manifestantes protestam contra fechamento de canal a cabo que se recusou a transmitir discurso de Chávez

estadao.com.br,

26 de janeiro de 2010 | 15h38

O governador de Mérida, Marcos Diaz, disse nesta terça-feira, 26, que dois estudantes morreram nos protestos da segunda em Mérida contra o fechamento do canal a cabo RCTV Internacional. Outras 16 pessoas ficaram feridas.

Tensão na Venezuela: 

linkEstadão de Hoje: SIP critica fechamento de TV

linkChávez aceita renúncia de vice-presidente

De acordo com Diáz, uma das vítimas foi morta a tiros e a outra em choques entre a polícia e manifestantes antichavistas.

Confrontos aconteceram também em Caracas, onde policiais atiraram gás lacrimogêneo e balas de plástico para dispersar milhares de estudantes que tentavam marchar em direção à sede da agência estatal de telecomunicações da Venezuela. Pelo menos seis manifestantes e um jornalista tiveram de receber atendimento médico.

Em Mérida, uma das vítimas foi identificada como um estudante do ensino médio chamado Jossimir Carrillo Torres. Outros nove policiais ficaram feridos.

Os estudantes protestam contra a decisão do governo de obrigar canais a cabo de transmitir discursos do presidente. A RCTV Internacional, que faz oposição ao regime, se recusou e foi punida. Desde 2007, quando a licença pública foi cassada, a RCTV opera apenas como canal a cabo.

Com informações da Reuters e da Efe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.