Dois policiais morrem em atentado no Peru

Cerca de vinte homens com fuzis lançou a granada de um caminhão contra o veículo policial

EFE

24 de dezembro de 2007 | 23h16

Dois oficiais morreram e outro ficou ferido nesta segunda-feira, após o lançamento de uma granada contra uma viatura da Polícia, em uma das principais regiões de produção de folha de coca no Peru. Um grupo de cerca de vinte homens armados com fuzis de longo alcance lançou de um caminhão uma granada de guerra contra um veículo policial, por volta das 6h (de Brasília), na cidade de Santa Rosa de Occaña (a cinco quilômetros da província de Huanta), disse o diretor-geral da Polícia Nacional, David Rodríguez. Os mortos no ataque foram identificados como Alberto Quispe Argumedo e Júlio César Solano Cipriano, ao tempo que Elías Pahuacho Córdova foi atingido por estilhaços e sofreu ferimentos na perna e no braço, embora esteja fora de perigo. O lugar onde ocorreu o atentado faz parte do Vale do Rio Apurímac-Ene, que abrange os departamentos de Ayacucho, Junín e parte da Amazônia, e é uma das principais zonas de cultivo de folha de coca e de produção de cocaína no Peru. Além disso, a região abriga remanescentes do grupo radical Sendero Luminoso, que não reconhecem o cessar-fogo ordenado por seu fundador e líder, Abimael Guzmán, após sua captura, em 1992. O ministro do Interior peruano, Luis Alva, disse à "Cadeia Peruana de Notícias" que a patrulha policial atacada foi "vítima de uma emboscada armada pelos narcoterroristas", quando partia em socorro de um homem que supostamente havia sido assaltado na estrada. Segundo o ministro, as autoridades ainda não sabem o número exato de agressores envolvidos na ação, mas já conseguiram encontrar o veículo utilizado e seu motorista. Segundo o Governo peruano, os remanescentes do Sendero Luminso se uniram com o narcotráfico para atentar contra policiais e autoridades nas regiões de maior produção de droga do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.