Duas jornalistas são assassinadas na Cidade do México

Autoridades mexicanas investigam o assassinato de duas jornalistas cujos corpos foram encontrados em um parque no sul da Cidade do México nesta quinta-feira.

REUTERS

01 Setembro 2011 | 22h12

Dezenas de jornalistas foram mortos pela violência relacionada ao tráfico de drogas no México nos últimos cinco anos. Porém, o gabinete da Procuradoria Geral na capital informou que o motivo do assassinato das duas amigas era incerto.

"Isso ainda está sendo investigado", afirmou um porta-voz, acrescentando que os resultados iniciais sugerem que as vítimas foram estranguladas. Ambas as mulheres tinham 48 anos, disse.

Uma delas, Ana Yarce, era a fundadora da revista investigativa Contralinea, afirmou a publicação em comunicado. A outra, Rocío González, havia trabalhado para a emissora de TV Televisa, acrescentou a revista.

O diário Reforma informou que Rocío tinha aparentemente sacado uma grande quantia de dinheiro e que as duas mulheres podem ter sido vítimas de um assalto.

(Reportagem de Dave Graham)

Mais conteúdo sobre:
MEXICO JORNALISTAS ASSASSINADAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.