Duas pessoas morrem em protesto pró-governo no Equador, diz Correa

Outras cinco pessoas foram feridas a facadas; presidente deve ser reeleito na eleição deste mês

Reuters

05 de fevereiro de 2013 | 07h39

QUITO - O presidente do Equador, Rafael Correa, disse na noite de segunda-feira que dois manifestantes pró-governo morreram e cinco foram feridos a facadas durante manifestação política a quase duas semanas da eleição presidencial em que o líder de esquerda deve ser reeleito confortavelmente.

"Pessoa maluca esfaqueia sete pessoas do AP que esperavam pelo presidente. Duas morreram", disse Correa em sua conta no Twitter, referindo-se aos partidários de seu movimento político Alianza País (AP).

O incidente aconteceu antes de um comício de campanha em Quininde, cidade no oeste da província de Esmeraldas. O Ministério do Interior informou também por meio do Twitter que a polícia prendeu a pessoa suspeita de cometer o ataque.

Correa deve vencer a eleição do dia 17 de fevereiro. As pesquisas o apontam com entre 50% e 60% dos votos, ao menos 30 pontos percentuais acima do adversário mais próximo, o ex-banqueiro Guillermo Lasso.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições no EquadorRafael Correa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.