Eleições em Cuba marcam transição de geração, diz jornal oficial

Cuba disse nesta sexta-feira que aseleições gerais do próximo dia 20 de janeiro marcarão a"transição de geração" na ilha de governo comunista. Após as eleições será instalado um novo Parlamento, commais de 60 por cento dos deputados nascidos após a revoluçãocomandada por Fidel Castro em 1959, informaram veículosnoticiosos locais. "A candidatura ao Parlamento... leva em si a transição degerações na condução do Estado", disse o jornal Granma, quepertence ao Partido Comunista. Segundo a mídia oficial, entre os 614 deputados, 374 deles,ou quase 61 por cento, nasceram após a revolução, e apenas 17por cento conheceu o capitalismo. Do total, 265 são mulheres (42,16 por cento) e 78 sãouniversitários, enquanto 20,6 por cento tem nível superior, deacordo com os dados.A Assembléia Nacional de Cuba poderá decidir sobre a sucessãode Castro como chefe de Estado, quando aprovar em março quemserão os membros do Conselho de Estado, apesar de o lídercubano não ter sido visto em público há mais de um ano e meiopor conta de uma enfermidade intestinal. O líder, com mais de 80 anos, disse em comunicados recentesque não se apegará eternamente ao poder, embora tenhasalientado que também não sairá totalmente da vida política. Se Castro não puder voltar ao cargo devido à suadebilidade, a Assembléia poderia formalmente nomear umsucessor. (Reportagem de Rosa Tania Valdés)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.