Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Federico Ríos/Efe
Federico Ríos/Efe

Eleições na Colômbia transcorrem de maneira tranquila

Poucos incidentes isolados foram registrados; Procuradoria recebeu 315 denúncias de irregularidades

Efe,

14 de março de 2010 | 16h08

As eleições na Colômbia transcorriam de maneira calma até o início da tarde deste domingo, 14, com apenas alguns distúrbios isolados e denúncias de irregularidades em alguns centros de votação, informaram autoridades e fiscais de segurança e transparência eleitoral.

 

Os principais centros de votação urbanos, principalmente a capital Bogotá, apresentaram grande fluxo de eleitores em seus colégios eleitorais. Cerca de 30 milhões de colombianos poderiam ir às urnas para votar nas eleições legislativas e escolher 72 senadores e 103 deputados para compor o Parlamento. Além disso, serão escolhidos os cinco representantes do país no Parlamento Andino.

 

O ministro de Interior e Justiça, Fabio Valência Cossio, assegurou que o ambiente de segurança no qual ocorreu a votação era um convite à participação, embora reconheceu que Hou alguns incidentes isolados. Segundo o ministro, foram desmontados sete cilindros supostamente montados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no departamento de Nariño, o que seria um suposto atentado contra o Exército.

 

Cossio também falou sobre o município de Campamento, no departamento de Antioquia, no noroeste do país, onde houve tentativas de barrar os fiscais e as urnas de abrirem a votação em uma seção. Segundo o ministro, a Unidade de Reação imediata para a Transparência Eleitoral (Uriel) recebeu ao menos 28 denúncias de compra de votos em três regiões colombianas.

 

DIFICULDADES

 

Cidadão de Barranquilla, no norte do país, encontraram dificuldades para se locomover aos colégios eleitorais porque 70% do transporte público "está sendo usado em campanhas eleitorais", segundo a Missão de Observação Eleitoral Internacional, que tem membros em 248 cidades.

 

A Polícia Nacional também disse que em Sipí, no noroeste, foram roubadas 235 cédulas, posteriormente repostas. Também foi encontrado um esconderijo com armas, munição e explosivos pertencentes ao Exército de Liberação Nacional (ELN), uma das guerrilhas da Colômbia.

 

A Procuradoria Geral da Nação informou que foram registradas até o meio da tarde 315 denúncias em todo o país por aparentes irregularidades.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbiaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.