ELN liberta prefeita colombiana seqüestrada há quase um mês

Ledesma García está deprimida; segundo secretário do governo, nenhum resgate foi pago

Efe,

20 de dezembro de 2007 | 01h33

O grupo guerrilheiro colombiano Exército de Libertação Nacional (ELN) libertou a prefeita da localidade de Bagadó, Ana Hasbleidy Ledesma García, que havia sido seqüestrada há quase um mês, mesmo estando grávida, informou nesta quarta-feira, 19, uma fonte oficial. Modesto Serna Córdoba, o secretário de governo do departamento (estado) de Chocó, disse que Ledesma García, uma economista de 42 anos, está "deprimida" e sendo submetida a vários exames médicos. A prefeita fora seqüestrada em 23 de novembro, por cerca de 30 homens de uma facção do ELN. Os rebeldes interceptaram o veículo no qual Ledesma García viajava, renderam seus seguranças e a levaram para uma região montanhosa. Segundo Serna Córdoba, nenhum resgate foi pago pela libertação da prefeita. O secretário de Governo de Chocó atribuiu a soltura da refém à "pressão da comunidade".

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaELN

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.