Efe
Efe

Em cúpula, presidente argentina pede fim do embargo a Cuba

Cristina Kirchner diz que é hora de assimilar 'transformações' e reconsiderar 'anacronismo' que significa sanções

Efe,

17 de abril de 2009 | 20h53

A presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, pediu nesta sexta-feira, 17, aos Estados Unidos "o levantamento do embargo à irmã república de Cuba", na abertura da 5ª Cúpula das Américas, em Trinidad e Tobago. Cristina fez um levantamento das mudanças registradas no mundo desde 2005, quando a Argentina recebeu a 4ª Cúpula das Américas, e defendeu que é hora de assimilar a nova realidade internacional.

 

"Devemos dar conta dessas transformações, dessa supressão da lógica de um mundo bipolar, do anacronismo que significa o embargo à república irmã de Cuba, e pedir seu levantamento", afirmou. A presidente reconheceu o esforço do presidente americano, Barack Obama, para eliminar as sanções econômicas a Cuba, mas insistiu em que é hora de "construir uma nova ordem regional que dê conta das transformações deste mundo."

 

Veja também:

linkSorridente, Chávez troca cumprimentos com Obama em cúpula

linkObama diz buscar 'recomeço' nas relações com Cuba

linkPaíses da Alba rejeitam declaração da Cúpula das Américas

linkSorridente, Chávez troca cumprimentos com Obama em cúpula

lista Veja os principais temas em discussão na Cúpula das Américas

lista Conheça os objetivos de Obama na Cúpula das Américas

 

Além disso, considerou "paradoxal" a expulsão de Cuba da Organização dos Estados Americanos (OEA) em 1962 com o argumento de que sua adesão ao socialismo violava o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (Tiar) e que o mesmo pacto não tenha sido invocado em favor da Argentina na Guerra das Malvinas, em 1982. Cristina foi a primeira a discursar na sessão inaugural, pois a Argentina foi o país anfitrião da cúpula anterior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.