Em encontro com Lula, Lugo propõe diálogo sobre Itaipu

Durante campanha, candidato à Presidência paraguaia disse que revisaria acordo por considerá-lo injusto

Efe,

02 de abril de 2008 | 19h29

O candidato presidencial paraguaio Fernando Lugo se reuniu nesta quarta-feira, 2, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília. No encontro, Lugo concordou em estabelecer um amplo diálogo se vencer as eleições de 20 de abril. O ex-bispo mudou de tom em relação a suas duras críticas ao Tratado de Itaipu - que regula as operações e a administração da hidrelétrica binacional. Durante sua campanha, o candidato disse que pretendia revisá-lo porque o considera "injusto" com o Paraguai. Veja também:Em visita ao Brasil, Lugo pressiona por renegociação de ItaipuCandidato paraguaio comemora ser 'dor de cabeça' para Brasil Segundo explicou após a reunião, Lugo conversou com o presidente sobre a possibilidade de instalar "uma mesa de diálogo séria, racional e respeitosa" para resolver as diferenças, e afirmou que Lula apoiou a proposta. Segundo o tratado, Brasil e Paraguai têm direito, cada um, a 50% dos 14 mil megawatts de capacidade da usina, mas a eletricidade não utilizada deve ser vendida ao outro parceiro a um preço fixo. Lugo defendeu durante a campanha que o Brasil deveria pagar mais pelo preço da energia - o equivalente a cerca de US$ 2 bilhões. O ex-bispo e candidato da Aliança Patriótica para a Mudança (APC), de oposição, explicou que a mesa de diálogo proposta seria constituída por técnicos e juristas, que discutiriam "a atual situação e outros aspectos do Tratado de Itaipu." Além das questões relacionadas a Itaipu, Lugo disse que também foram discutidos outros assuntos bilaterais, como o comércio fronteiriço e a situação dos cidadãos das zonas limítrofes. O candidato avaliou ainda a intenção do Brasil de construir uma linha de alta tensão de Itaipu a Assunção, a um custo de cerca de US$ 200 milhões, anunciada nesta quarta-feira, antes de seu encontro com o presidente. "Uma linha de transmissão é fundamental, desde que se faça com eqüidade e espírito solidário e justo", declarou. Segundo Lugo, Lula também se comprometeu a "seguir cooperando com o processo de industrialização do Paraguai", um país que, em sua opinião, deve "mudar seu status de agroexportador para agroindustrial." Anteriormente, Lula já tinha recebido outros dois principais candidatos à Presidência do Paraguai - a governista Blanca Ovelar, do Partido Colorado, e o também opositor Lino Oviedo, da União Nacional de Cidadãos Éticos (Unace).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.