Em meio a protestos, Panamá registra 1 morto, 105 feridos e 115 detidos

Manifestantes do setor bananeiro entraram em confronto com a polícia por salários atrasados

Efe,

09 de julho de 2010 | 22h03

Sede da Autoridade de Proteção ao Consumidor, destruída após protestos em Changuinola

 

CHANGUINOLA, PANAMÁ- O governo do Panamá anunciou nesta sexta-feira, 9, que 115 pessoas permanecem detidas na cidade de Changuinola, na província de Bocas del Toro, após um novo dia de protestos e confrontos entre trabalhadores do setor bananeiro e a Polícia, que já deixaram 105 feridos e um sindicalista morto.

 

Segundo comunicado do Ministério de Segurança panamenho, "115 pessoas foram presas em decorrência dos distúrbios em Changuinola".

 

A nota acrescenta que há danos materiais em vários edifícios e instituições públicas da cidade, onde se decretou o toque de recolher a partir das 21h local (23h de Brasília).

 

"A situação ainda não está controlada. A coisa está desordenada", indicou à Agência Efe uma fonte do Ministério de Segurança, referindo-se aos confrontos, que na quinta-feira causaram a morte do sindicalista Antonio Smith, do setor bananeiro.

 

Por sua vez, o Ministério da Saúde assinalou em outro comunicado que consta o registro de 105 feridos em choques entre a Polícia e trabalhadores da empresa de bananas Bocas Fruit Company.

 

Eles protestavam reivindicando salários atrasados e a derrogação de duas leis que restringem os direitos sindicais.

 

Fontes oficiais disseram que os manifestantes incendiaram uma delegacia de Polícia e vários estabelecimentos comerciais e veículos que utilizam como barricadas nas ruas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.