Em repouso, Hugo Chávez domina rede social na Venezuela

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, está desde segunda-feira em repouso absoluto por causa de uma lesão no joelho, mas sua ausência física não impede que ele continue dominando as discussões na Internet.

MARIO NARANJO, REUTERS

12 de maio de 2011 | 20h27

Seus seguidores criaram o "hashtag" #palantecomandante (adiante, comandante) para enviar saudações ao "comandante presidente", mas o recurso começou a ser apropriado por adversários do líder socialista, que aproveitam para fazer críticas à falta de alimentos, energia e segurança pública.

Depois de cancelar uma viagem a Brasil, Cuba e Equador, Chávez guardou silêncio até quarta-feira, quando usou sua conta no Twitter (@chavezcandanga) para agradecer os seguidores que lhe enviaram votos de recuperação.

Em outra mensagem, ele cumprimentou a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, pela descoberta de petróleo no sul do seu país. Chávez tem 1,3 milhão de seguidores no microblog.

"Tem sido bastante interessante a batalha travada neste novo espaço, é uma nova trincheira", disse à Reuters o jornalista e ativista digital Luis Carlos Díaz, para quem Chávez é uma espécie de estrela pop do ciberespaço.

"Existe um efeito emotivo, gente que chega e lhe deseja que melhore, outros que lhe pedem coisas", conta Díaz, lembrando que existem também contas falsas, criadas com nomes e fotos de atrizes pornôs, que se encarregam periodicamente de incensar o presidente.

A imprensa oficial se encarrega de promover o "hashtag" #palantecomandante, que chegou a ser impresso na capa do jornal estatal "Correo del Orinoco."

Enquanto isso, a TV estatal transmite a todo instante mensagens de pessoas que estimam melhoras a Chávez ou lhe sugerem receitas caseiras, como "folha de manga todas as noites e muito mentol."

As receitas, aliás, vêm também de fora da Venezuela. O presidente da Bolívia, Evo Morales, conversou por telefone com seu aliado e prometeu lhe enviar "chirca", uma erva medicinal que o ajudou a se curar de uma lesão semelhante, segundo relato da agência oficial de notícias da Venezuela.

Chávez, Morales e o presidente equatoriano, Rafael Correa, defendem a implantação do "socialismo do século 21" na América do Sul, mas têm outra coisa em comum: já sofreram problemas no joelho.

Correa e Morales chegaram a ser operados, enquanto Chávez, paraquedista militar da reserva, de 56 anos, está em observação, e uma cirurgia não foi descartada.

Mesmo de molho, Chávez não para, e seus colaboradores dizem que ele monitora constantemente os assuntos de governo e lhes dá ordens por telefone ou mensagens de texto.

"Chávez nos mantém loucos, agora que está de repouso", disse, aos risos, o vice-presidente executivo Elías Jaua.

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELACHAVEZTWITTER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.