Carlos Barria/Reuters
Carlos Barria/Reuters

Em visita de Sarkozy, França doa US$ 446 mi para ajudar Haiti

Sarkozy é primeiro presidente da antiga metrópole a visitar ex-colônia, independente após revolta de escravos

estadao.com.br,

17 de fevereiro de 2010 | 15h10

A França doará ao Haiti, devastado por um terremoto em 12 de janeiro, 326 milhões de euros (US$ 446 milhões) em auxílio. O anúncio foi feito pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, durante visita à nação caribenha nesta quarta-feira, 17.

O pacote de ajuda francês inclui o cancelamento de uma dívida de 56 milhões de euros (US$ 76 milhões) do país. Sarkozy é o primeiro presidente da França da história a visitar a ex-colônia francesa no Caribe. O Haiti lutou para conseguir se tornar um país independente em 1804, tornando-se então a primeira república de maioria negra.

Sarkozy deve observar partes da destruída capital, Porto Príncipe, e outras áreas afetadas em uma visita de helicóptero nesta quarta-feira. Ele ainda conhecerá um hospital de campanha montado por funcionários franceses que trabalham com ajuda humanitária.

A França já havia se comprometido a ajudar com 20 milhões de euros (US$ 27 milhões) e vai participar de uma conferência de alto nível de doadores internacionais ao Haiti a ser realizada em Nova York em março.

 

Economistas do Banco Interamericano de Desenvolvimento estimam que o custo de reconstruir o Haiti após o terremoto possa chegar a quase US$ 14 bilhões, o que faz do terremoto de janeiro, em termos proporcionais, a catástrofe natural mais destrutiva dos tempos modernos.

O presidente haitiano, René Préval, que na segunda-feira recebeu o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, disse que seu governo está discutindo a criação de um fundo comum para a recuperação do Haiti, a ser administrado em conjunto com os doadores.

O presidente da República Dominicana, Leonel Fernandez, estimou que o fundo pode chegar ao total de US$ 10 bilhões ao longo de cinco anos. Outros líderes dizem que será preciso uma década para reconstruir o Haiti.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
HaitiSarkozyFrançaterremoto no Haiti

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.