Empresa de americanos seqüestrados comemora libertação

Howes, Stansell e Gonsalves são os americanos mantidos em cativeiro por mais tempo na história

Agências Internacionais,

03 de julho de 2008 | 16h31

Com as fotografias dos três americanos resgatados na Colômbia e o lema "não os esquecemos" e "libertados", a companhia de segurança privada Northrop Grumman comemorou nesta quinta-feira, 3, em sua página na internet a libertação de seus funcionários.   Nesta quarta-feira, 2, 15 reféns das Farc foram libertados após terem sidos mantidos nas selvas colombianas por mais de seis anos. Entre eles, estavam três norte-americanos: Thomas Howes, Keith Stansell e Marc Gonsalves.   Veja também: Ouça o relato de Ingrid Betancourt (em espanhol) Uribe pede libertação de todos os reféns para negociar paz Libertação foi milagre, precisamos lutar pelos reféns, diz Ingrid Resgate foi absolutamente impecável, diz Ingrid Quem são os ex-reféns libertados pelo Exército colombiano EUA elogiam operação de resgate Rice pede às Farc que libertem outros reféns O drama de Ingrid Por dentro das Farc  Histórico dos conflitos armados na região    Cronologia do seqüestro de Ingrid Betancourt Leia tudo o que foi publicado sobre o caso Ingrid Betancourt Depoimento dos filhos de Ingrid (em espanhol)    O site da companhia mudou temporariamente sua página de acesso para celebrar o fim do seqüestro de Thomas Howes, Keith Stansell e Marc Gonsalves, resgatados ontem pelo Exército colombiano após permanecerem cinco anos em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).   Na página principal de acesso aparece uma fotomontagem com as imagens dos três com o mapa da Colômbia servindo de fundo, com um pequeno avião e um laço amarelo com o nome dos ex-reféns e a bandeira americana.   Em comunicado, a empresa destacou o "êxito militar colombiano" e seu esforço para realizar o resgate.   A empresa agradeceu "os destacados esforços dos Governos de Colômbia e Estados Unidos que resultaram na libertação de nossos colegas e outros cidadãos colombianos" e expressou seu desejo de "ter os três homens reunidos com suas famílias outra vez em casa nos EUA".    Os três resgatados retornaram aos Estados Unidos já na quarta-feira, 2, mais de cinco anos após sua captura. Howes, Stansell e Gonsalves são os americanos que mais tempo foram mantidos em cativeiro na história.   Seu avião aterrisou na Base Lackland Air Force pouco depois das 23 horas (horário local). Todos eles pareciam bem, ao saírem do Air Force C-17 sem comitiva de recepção. Eles foram levados de helicóptero Brooke Army Medical Center para averiguar suas condições de saúde. Logo após, serão levados ao Texas, onde encontaram suas famílias.   A Captura   Os três trabalhavam com construção civil para uma subsidiária da companhia de segurança privada Northrop Grumman Corp. A empresa apoiava junto ao exército americano a luta contra as drogas e contra a guerrilha.   Eles foram capturados quando o monomotor com o qual sobrevoavam a floresta colombiana - em busca de plantações de coca a serem destrídas, terminando com a fonte de renda da guerrilha - teve uma pane mecânica, caindo dentro de um campo das Farc.   No mesmo avião que os três americanos estava ainda Tom Janis, americano e piloto do avião, e um oficial da inteligência colombiana.   Logo que conseguiram sair do avião, membros das Farc já começaram a atirar em sua direção. Os cinco foram presos e, enquanto Howes, Stansell e Gonsalves eram conduzidos ao cativeiro, Janis e o oficial colombiano foram executados.   Howes é da cidade de Chatham, em Massachusetts; Gonsalves é de Hebron, em Connecticut e Stansell vive em Miami, Florida.

Tudo o que sabemos sobre:
INGRIG BETANCOURTFARCCOLOMBIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.