Reuters
Reuters

Empresário, Ricardo Martinelli, deve vencer eleição no Panamá

O vencedor, cujo mandato termina em 2014, terá de enfrentar a crise e a expansão do canal

AE-AP,

03 de maio de 2009 | 19h48

O empresário do setor supermercadista Ricardo Martinelli deverá vencer a candidata da atual coalização governista e ex-ministra de Habitação Balbina Herrera nas eleições presidenciais no Panamá, promovidas neste domingo. O vencedor, cujo mandato termina em 2014, terá de enfrentar a crise e a expansão do canal. A obra, avaliada em US$ 5,25 bilhões, tem como objetivo aumentar sua capacidade e abrigar navios maiores.

 

Poucos incidentes foram registrados, apesar do elevado comparecimento dos eleitores nos 2.832 locais de votação do país, disseram observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA), em relatório preliminar divulgado logo após o fechamento das urnas. As primeiras parciais são esperadas ainda para esta noite.

 

Os candidatos falaram em união, independentemente do resultado do pleito. "Eu acredito em Deus e no povo panamenho", disse Balbina, ao votar numa escola da capital. "Tanto os vencedores quanto os perdedores têm de trabalhar para melhorar o país", disse Martinelli. "Nossos problemas não acabam com a eleição". O candidato eleito assume o posto em 1 de julho, em substituição ao atual presidente, Martin Torrijos.

 

Tanto Martinelli, 57, quanto Balbina, 54, apoiam a expansão do canal, mas a crise econômica gerou incertezas sobre o projeto, que recebeu US$ 2,3 bilhões em financiamento internacional. A obra, aprovada em referendo em 2006, deverá criar cerca de 5 mil empregos diretos no país entre 2010 e 2011, quando deve estar a pleno vapor, segundo as autoridades.

 

A economia panamenha cresceu 8,7% por ano em média nos últimos cinco anos, e o desemprego caiu de 12% para 5,6%. Essa expansão foi estimulada por investimentos estrangeiros e estatais. Para este ano, a projeção é de aumento de 3% a 4% do PIB.

 

Numa pesquisa promovida no mês passado, Martinelli ficou com 50% das intenções de voto. Ele é dono da maior rede de supermercados do país, a Super 99. Balbina foi citada como a candidata preferida por 38% das pessoas pesquisadas. Pesquisas anteriores também davam vantagem a Martinelli. Outro candidato ao cargo é Guillermo Endara, que presidiu o país entre 1989-1994.

 

Os panamenhos também elegeram hoje um vice-presidente, membros do Congresso, prefeitos e outros representantes locais. Mais de 2,2 milhões de pessoas estavam aptas a votar e o Tribunal Eleitoral do país disse que esperava o comparecimento de mais de 75% dos eleitores. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Panamáeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.