AP
AP

Empresas brasileiras não serão nacionalizadas, diz Chávez

No Brasil, líder venezuelano afirma que nação está em fase de estatização de companhias, menos as do País

Efe,

26 de maio de 2009 | 17h01

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou nesta terça-feira, 26, em reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva que as empresas brasileiras estão a salvo das nacionalizações realizadas no país. "Estamos em uma fase de nacionalização de empresas no país (...). Menos das brasileiras", disse Chávez em tom descontraído na reunião a portas fechadas que teve nesta tarde com Lula em Salvador.

 

Veja também:

lista Conheça as medidas de estatização do governo Hugo Chávez

 

Bem-humorado, Chávez fez piada e disse que tentou convencer o empresário Emílio Odebrecht, presidente do conselho de administração da construtora Odebrecht, a abraçar a causa socialista, mas ele rejeitou a proposta. "Eu tentei conversar com dom Emilio (Odebrecht) para ir ao socialismo. Ele riu e disse que não", ressaltou Chávez.

 

O presidente falou ainda sobre a recente nacionalização realizada na Venezuela de empresas de produtos siderúrgicos nas quais a argentina Techint tem participação. Chávez justificou a medida pelo fato de que a Techint mandava aço venezuelano para produzir canos no México que depois eram vendidos à companhia Petróleos de Venezuela S/A (PDVSA) a preços muito altos.

 

Os dois presidentes se reuniram nesta terça dentro da sexta reunião trimestral para analisar assuntos bilaterais e da integração regional. Assim que terminarem os atos oficiais, Lula e Chávez darão uma entrevista coletiva e voltarão ainda nesta terça a Brasília e Caracas, respectivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaHugo ChávezVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.