Encontrados restos mortais de 60 pessoas em vala comum no Peru

Especialistas forenses encontraram osrestos mortais de pelo menos 60 homens, mulheres e crianças quepodem ter sido assassinados por militares, na maior vala comumjá identificada no Peru, onde caberiam mais de 100 pessoas,disseram na quinta-feira os investigadores do caso. Os restos mortais, que jaziam em Putis, na região deAyacucho, estavam incompletos e misturados uns com os outros, oque dificulta a identificação e indica que foram violadosdepois da morte, dizem os especialistas. O massacre de Putis é o maior entre os que ocorreram naguerra interna entre as forças de segurança e os rebeldes deesquerda, entre 1980 e 2000, segundo a Comissão da Verdade eReconciliação, órgão estatal que investiga a violência políticano período. "O que mais indigna é a existência de restos de meninos emeninas de 6 a 12 anos de idade, o que permite afirmar quefamílias inteiras foram mortas", disse a jornalistas NolberoLamilla, diretor da ONG Paz e Esperança, que auxiliasobreviventes e familiares das vítimas. "A Comissão da Verdade tinha informado que eram duas asvalas, mas são cinco. O órgão falava em 123 assassinatos nomínimo, mas os familiares dizem que o número pode chegar a300", disse à Reuters German Vargas, advogado da Paz eEsperança. Segundo a CVR, os confrontos entre as forças de segurança eas guerrilhas de esquerda deixaram cerca de 69 mil mortos edesaparecidos em duas décadas. (Por Jean Luis Arce)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.