Equador alerta que responderá a ataques de grupos colombianos

O presidente do Equador, Rafael Correa, advertiu na quarta-feira aos grupos irregulares colombianos que operam na fronteira destes países que responderá "com tudo" a qualquer operação que realizem em seu território e afete sua soberania. A advertência de Correa acontece após vários incidentes na fronteira na última semana por parte de membros das Farc, grupos paramilitares, grupos delinquentes e membros do Exército colombiano. "Que esta gente não se atreva a disparar contra mais nenhum soldado equatoriano porque responderemos com tudo", disse o presidente durante uma visita a um soldado que perdeu uma perna em conflito com grupos ilegais. As Forças Armadas equatorianas redobraram os controles na fronteira de 600 quilômetros que divide com a Colômbia, mas depois dos incidentes a ordem é "repelir os ataques das forças irregulares". "Se as forças irregulares dispararem da Colômbia é preciso responder desde o território equatoriano da mesma maneira", afirmou o ministro da Defesa, Javier Ponce. O Equador não tem enfrentado ataques diretos a suas forças armadas por parte destes grupos, mas foram registrados disparos dispersos, que deixaram vítimas. O país andino denunciou na semana passada a incursão de grupos paramilitares a seu território para realizar atividades de assassinatos de aluguel na província fronteiriça de Esmeraldas. Na terça-feira, houve enfrentamento entre membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e militares equatorianos na província de Sucumbíos. Desde março ambos os países mantêm relações estremecidas, depois de um ataque do Exército colombiano a um acampamento das Farc na selva equatoriana. (Por Alexandra Valencia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.