Equador, Colômbia e Venezuela selam paz com aperto de mãos

Colômbia, Equador e Venezuelaencerraram uma disputa nesta sexta-feira, apertando as mãos emuma reunião de cúpula uma semana depois de deslocarem tropas ede vários países cortarem relações com o governo colombiano. "E com isso... esse incidente que causou tanto dano seráresolvido", disse o presidente equatoriano, Rafael Correa,antes de se levantar e cumprimentar o colega colombiano, AlvaroUribe. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, que culpou osEstados Unidos pela crise e enviou tanques para a fronteira coma Colômbia, aliada norte-americana, também cumprimentou Uribe,aplaudiu com vigor e sorriu com vontade. A resolução da disputa, que surgiu no sábado quando aColômbia atacou território do Equador para matar um comandantedas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), deu umfinal surpreendente à reunião. Os cumprimentos foram transmitidos ao vivo pela televisãona América Latina, em resposta a um pedido especial doanfitrião da cúpula, o presidente dominicano, Leonel Fernandez. Mais cedo Uribe e Correa se enfrentaram na reunião. Correa chamou o colega colombiano de mentiroso, após seracusado de ter manter ligações com a guerrilha. A crise se espalhou pela região, com a Venezuela e aNicarágua se unindo ao Equador ao cortar relações diplomáticascom Bogotá, enquanto Venezuela e Equador despejavam tropas nasfronteiras com a Colômbia -- o maior aliado dos EUA na região. A Nicarágua acabou restabelecendo os laços com a Colômbia. (Reportagem adicional de Manuel Jimenez e Enrique AndresPretel em Santo Domingo e Brian Ellsworth em Caracas; Texto deSaul Hudson)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.