Equador diz que ainda não é hora de nomear embaixador em Bogotá

O Equador disse nesta quarta-feira que ainda não é o momento para designar um embaixador na Colômbia, apesar do diálogo estabelecido pelos dois governos para normalizar suas relações diplomáticas.

REUTERS

30 de setembro de 2009 | 17h22

Os dois países decidiram nomear em outubro encarregados de negócios, como parte de um acordo obtido na semana passada e dentro dos passos prévios ao restabelecimento total dos vínculos formais.

"Estamos em um caminho de normalização de relações diplomáticas, mas não estamos ainda no caminho ou no ponto de nomear um embaixador ou embaixadora", disse o chanceler equatoriano, Fander Falconí, a jornalistas.

A designação dos respectivos embaixadores dependerá da "criação de mecanismos de trabalho" entre ambas as partes, acrescentou.

Para isso, Falconí e seu homólogo colombiano, Jaime Bermúdez, devem se reunir na próxima semana no lado equatoriano da fronteira para definir novos acordos.

Quito e Bogotá romperam relações diplomáticas em março de 2008, depois de uma incursão militar do Exército colombiano em território equatoriano para destruir um acampamento do grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O acordo inclui também o compromisso da Colômbia de não realizar operações militares ou de segurança no território equatoriano, enquanto Quito reitera que não tolerará a presença de grupos armados clandestinos no seu território, e que qualquer incursão armada será repelida.

Os chanceleres decidiram integrar comissões para tratar os temas "chaves" que poderiam gerar alguma discrepância, e não descartaram a solicitação de uma mediação de organismos internacionais.

(Reportagem de Alexandra Valencia)

Tudo o que sabemos sobre:
EQUADORCOLOMBIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.