Equador e Colômbia fazem novo encontro por reaproximação

Os vice-chanceleres do Equador e daColômbia se encontram na segunda-feira em Lima em busca dereaproximação diplomática, confirmou a chancelaria equatorianana sexta-feira. O encontro é parte da iniciativa da Organização dos EstadosAmericanos (OEA) para restabelecer as relações diplomáticasentre Quito e Bogotá, rompidas depois da ação militar daColômbia contra um acampamento da guerrilha Farc em territórioequatoriano. O ataque, qualificado pela comunidade internacional como umato de violação da soberania do Equador, provocou a morte dodirigente rebelde Raúl Reyes e de 24 outras pessoas, inclusive4 mexicanos e 1 equatoriano. "A reunião se enquadra na gestão de bons ofícios confiadapelos chanceleres da OEA ao secretário-geral, com vistas ànormalização das relações entre Equador e Colômbia", disse notada chancelaria de Quito. O Equador insinuou nesta semana que os militarescolombianos teriam matado algumas pessoas à queima-roupa eteriam tido orientação tecnológica dos EUA. Bogotá rejeitaessas versões. A primeira reunião dos vice-chanceleres José Valencia(Equador) e Camilo Reyes (Colômbia) aconteceu em 29 de abril noPanamá, com resultados "produtivos", segundo os participantes. Paralelamente, a Corte Internacional de Justiça, com sedeem Haia, começou a analisar uma queixa do Equador contrafumigações feitas pela Colômbia na região da fronteira,destinadas a eliminar lavouras de coca, o que Quito também vêcomo violação da sua soberania. A Corte receberá as partes para ouvir seus argumentos e emseguida fixará um cronograma para o processo. O Equador diz quea prática das fumigações provoca danos a lavouras e populaçõesno seu lado da fronteira comum, que tem 600 quilômetros. (Reportagem de Alexandra Valencia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.