Equador enviará relatórios da Odebrecht à embaixada do Brasil

Documentos comprovariam 'irregularidades' na construção e reparação da hidrelétrica de San Francisco

Efe,

23 de outubro de 2008 | 15h38

O governo do Equador enviará relatórios sobre as supostas irregularidades cometidas pela construtora brasileira Odebrecht, expulsa do país no mês passado, à Embaixada do Brasil em Quito, informou nesta quinta-feira, 23, uma fonte do Fundo de Solidariedade equatoriano, entidade responsável por regular os contratos do setor elétricos. Veja também:Petrobras e Equador prorrogam negociações por um anoQuito nega suspensão de contrato com a EmbraerOdebrecht insiste em estudo 'independente' no Equador A fonte disse que o governo do Equador já "está trabalhando nos relatórios", que têm como objetivo comprovarem as "irregularidades" da empresa na construção e reparação da usina hidrelétrica de San Francisco, construída pela Odebrecht. O governo equatoriano mantém uma queda-de-braço com a empreiteira brasileira, a quem acusa de não cumprir os compromissos de reparação da hidrelétrica, que ficou paralisada por vários meses. Ao expulsar a Odebrecht, o Equador tirou da empresa outros projetos que a construtora brasileira executava no país e que agora estão sob administração do Ministério de Obras Públicas equatoriano. A última ação do Governo do Equador contra a Odebrecht é a revogação do visto de nove funcionários da empresa e da Furnas Centrais Elétricas S.A., responsável pela auditoria do projeto hidrelétrico San Francisco. Autoridades do Equador reiteraram que a expulsão da Odebrecht do país causou um impacto "realmente pequeno" e não afetou as relações bilaterais com o Brasil, como especulam certos setores.

Tudo o que sabemos sobre:
EquadorOdebrecht

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.