Equador espera que EUA renovem preferência tarifária

A ministra das Relações Exteriores lembrou que a extensão das preferências andinas depende de Washington

EFE

21 de dezembro de 2007 | 04h56

O Governo do Equador disse nesta sexta-feira que confia na renovação das preferências tarifárias (ATPDEA) que os Estados Unidos concedem de forma unilateral aos países andinos por sua luta antidrogas, que estão em vigor até março de 2008. A ministra das Relações Exteriores e Comércio, María Isabel Salvador, lembrou que a extensão das preferências andinas depende de Washington. A renovação do ATPDEA "é um processo em que eles unilateralmente decidiram fazer algumas concessões", comentou. Salvador, citada pelo site "Ecuadorinmediato", disse que "o Equador não está solicitando a renegociação do processo". Mas admitiu que a Embaixada equatoriana em Washington estabeleceu contatos para discutir o assunto. "Nosso embaixador, Luis Gallegos, está em permanente contato com congressistas, falando do tema. Confiamos, de acordo com alguns indícios que temos, que a ATPDEA será renovada", afirmou Salvador. A chanceler equatoriana também destacou os avanços nas negociações sobre o processo de associação entre a Comunidade Andina (CAN, formada por Bolívia, Colômbia, Equador e Peru) e a União Européia. "Esperamos fechar um acordo comercial CAN-UE em no máximo dois anos e meio, e que essas negociações não sejam tão longas como as da UE com o Mercosul, que duraram mais de 15 anos", disse. Além disso, afirmou, o Equador analisa a possibilidade de estender e fortalecer acordos comerciais com outros países ou regiões.

Tudo o que sabemos sobre:
Tarifas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.