Equador já felicita Cristina Kirchner pela vitória

Resultado mostra "vocação democrática e progressista dos povos na AL", diz governo equatoriano

Efe,

29 de outubro de 2007 | 00h26

O governo do Equador já enviou na noite deste domingo, 28, uma calorosa felicitação à senadora argentina Cristina Fernández de Kirchner pelo resultado das eleições. De acordo com as primeiras pesquisas de boca-de-urna divulgadas após o fechamento dos colégios eleitorais, ela conseguiu uma folgada vitória no pleito presidencial. Veja também:Partidários de Cristina já festejam vitória na argentinaBocas-de-urna apontam vitória de Cristina Kirchner no 1º turnoEspecial: as eleições argentinas Argentinos votam para consagrar KirchnersCristina: 'Não sou Hillary nem Evita'Kirchner seduz interior empobrecido "Estamos muito comprazidos e, em nome de nosso governo, enviamos uma calorosa felicitação a presidente Cristina de Kirchner, caso a tendência se confirme", assegurou à Agência Efe a chanceler equatoriana, María Fernanda Espinosa. "Seria uma vitória redonda da candidata Cristina e isso faz parte de um projeto na América Latina, que confirma o sentir dos povos de nossa região a favor de governos democráticos e progressistas", completou María Fernanda. "Aparentemente - disse a chanceler -, Cristina tem o dobro da votação que a segunda colocada, e isso nos deixa muito felizes, porque primeiro confirma a vocação democrática e progressista de nossos povos na América Latina, ao mesmo tempo em que confirma uma tendência regional, de confiar em governos que sabem cumprir com sua Palavra". María Fernanda destacou ainda a amizade entre Cristina, seu esposo e o presidente equatoriano. "Pelo posto que ocupam, há uma relação direta de afeto e respeito mútuo entre os líderes", disse. "Há uma estreita amizade e uma série de coincidências nas prioridades e na condução política de nossos países entre o presidente Kirchner, sua esposa, e o presidente Correa", acrescentou a chanceler equatoriana. Resultado Parcial Cristina Fernández de Kirchner, senadora e candidata do Governo pela Frente para a Vitória, ganhou neste domingo as eleições presidenciais da Argentina em primeiro turno, ao obter de 46% a 46,3% dos votos, segundo as primeiras pesquisas de boca-de-urna divulgadas após o Pleito. A candidata da Coalizão Cívica, Elisa Carrió, ficou em segundo, com 23,7% a 25% dos sufrágios, enquanto o ex-ministro da Economia Roberto Lavagna foi terceiro, com 13,1% a 14%. Fontes oficiais consultadas pela Agência Efe asseguraram que a esposa do líder argentino, Néstor Kirchner, obteve "uma votação claramente acima" dos 40% de que necessita para sagrar-se presidente. A legislação argentina prevê que para que um candidato ganhe as eleições em primeiro turno deve obter 45% dos votos ou ter 40% mais dez pontos percentuais de diferença sobre o segundo colocado.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.