Equador não reconhece governo de Lobo em Honduras

Para Rafael Correa, "seria uma barbaridade" reconhecer sucessor de Zelaya

Efe,

26 de fevereiro de 2010 | 02h55

O presidente do Equador, Rafael Correa, disse que seu Governo não reconhece o presidente de Honduras,Porfirio Lobo, e disse que o país centroamericano deveria convocar eleições antecipadas e democráticas.

 

Reconhecer o Governo Lobo "seria uma barbaridade. Imaginem que há um golpe de Estado, são convocadas eleições três meses depois e (as pessoas agem como se) não tivesse acontecido nada", disse Correa, que sempre defendeu a restituição do presidente deposto Manuel Zelaya.

 

"Não poderíamos aceitar esse precedente" e reconhecer um Governo surgido de eleições organizadas por uma ditadura, acrescentou o líder equatoriano, que assinalou, porém, que poderia aceitar a presidência de Lobo com algumas condições.

 

Poderíamos aceitar "com devidas condições, por exemplo: convocação de eleições antecipadas, democráticas e abertas. Não podemos legitimar eleições feitas por uma ditadura", disse Correa, durante entrevista à rede de televisão equatoriana Canal 1.

 

Tudo o que sabemos sobre:
EquadorHondurasLoboZelaya

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.