Equador pode lançar ofensiva diplomática contra Colômbia

Caso seja realmente o equatoriano, Correa prometeu iniciar uma luta diplomática extremamente forte

AE-AP,

23 de março de 2008 | 03h13

O presidente do Equador, Rafael Correa, ameaçou, neste sábado, em lançar uma nova ofensiva diplomática contra a Colômbia, caso testes de DNA confirmem que, durante a ofensiva das tropas colombianas a um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no dia 1º de março no Equador, resultaram na morte de um cidadão equatoriano.  Os pais de Franklin Aizalia, desaparecido há mais de três semanas, disseram ter visto fotos divulgadas pela imprensa que indicam que um corpo que a Colômbia retirou do acampamento é de seu filho. Eles viajarão na segunda-feira para Bogotá para determinar a identidade do corpo, inicialmente estabelecida como sendo de Guillermo Enrique Torres, conhecido como Julian Conrado.  Caso o corpo seja realmente do equatoriano, Correa prometeu "iniciar uma luta diplomática extremamente forte, porque não deixaremos esse assassinato impune". O Equador não retomou as relações diplomáticas com o país vizinho depois do ataque e afirma que foi uma ofensa à soberania de seu país.

Tudo o que sabemos sobre:
colômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.