Equador registra primeiro caso de chikungunya em paciente infectado em outro país

Equador registra primeiro caso de chikungunya em paciente infectado em outro país

O vírus transmitido pela picada de mosquitos normalmente não é fatal, mas costuma causar forte dor nas articulações e na cabeça, assim como febre

REUTERS

02 de outubro de 2014 | 20h47

O Equador confirmou nesta quinta-feira o primeiro caso do vírus chikungunya em um paciente que se infectou em outro país e descartou a presença de casos "nativos" na nação andina.

O vírus transmitido pela picada de mosquitos normalmente não é fatal, mas costuma causar forte dor nas articulações e na cabeça, assim como febre.

"Identificamos o primeiro caso no Equador, em Loja, não é um caso autóctone, não foi transmitido dentro do Equador, mas veio de outro país, é um caso importado", disse a jornalistas a ministra da Saúde, Marysol Ruilova, sem detalhar a procedência.

No entanto, descartou uma eventual epidemia do vírus, também conhecido como artrite epidêmica, e garantiu que existe um cerco epidemiológico no país há várias semanas para supervisionar os possíveis contágios da doença.

A preocupação do Equador com o chikungunya se deve à presença do vírus nos países vizinhos, com mais de 250 casos registrados na Venezuela e pelo menos 78 casos na Colômbia.

O chikungunya se encontra comumente na África e na Ásia, mas tem sido detectado no Caribe desde o ano passado.

(Reportagem de Alexandra Valencia)

Tudo o que sabemos sobre:
EQUADORCHIKUNGUNYAINFECTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.