Equador vai reatar com a Colômbia no fim do mês

O presidente do Equador, RafaelCorrea, disse que as relações diplomáticas com a Colômbia serãorestabelecidas no fim do mês, em mais um passo para a superaçãoda crise provocada por uma ação militar colombiana contra umacampamento da guerrilha Farc em território equatoriano. Em entrevista publicada na quarta-feira pelo jornal chilenoEl Mercurio, Correa disse que a recente crise foi superada, masalertou que "perdão é uma coisa, esquecimento é outra". O restabelecimento diplomático, afirmou, ocorrerá"provavelmente no fim do mês, queremos tomar nosso tempo." "Isto não foi uma briga de compadres, foi uma das crisesmais graves da história recente da América Latina", disseCorrea, durante visita oficial de dois dias a Santiago. Já a chanceler equatoriana, María Isabel Salvador, disseque seu país manterá suspensas as relações por enquanto, emprotesto contra "a violação do território e da soberania" doseu país. "O Equador deve demonstrar a seriedade da sua posição aomundo mantendo, inclusive, essas relações diplomáticas comoestão por um tempo prudente adicional", declarou ela ajornalistas em Quito. De acordo com ela, ainda não há um pedido oficial dereatamento por parte da Colômbia. Após uma recente visita à zona do conflito, osecretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA),José Miguel Insulza, disse que a Colômbia deve realizar açõespara evitar a entrada de grupos clandestinos no Equador, e nãomenosprezar os esforços de seu vizinho no combate às incursõese operações da guerrilha. O Equador espera que uma reunião de chanceleres da OEA, nodia 17, ratifique a tese de que a Colômbia violou o seuterritório e estabeleça mecanismos para evitar que isso serepita. (Reportagem de Antonio de la Jara)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.