Equatorianos votam para presidente, Correa tenta a reeleição

O presidente do Equador, Rafael Correa, busca um novo mandato neste domingo em uma eleição que chega como favorito para estender sua "revolução cidadã" de viés socialista em um país sulamericano produtor de petróleo.

ALEXANDRA VALENCIA E TOMAS SAMIENTO, Reuters

17 de fevereiro de 2013 | 09h31

Milhares de eleitores compareceram aos centros eleitorais das principais cidades do Equador para votar, em ato obrigatório no país para todas as pessoas com idades entre 18 e 65 anos.

Programas sociais para melhora do acesso à saúde, melhoria de estradas e construção de mais escolas deram ao economista de 49 anos com estudo no exterior uma forte base de apoio entre os pobres, mas ele também tem sido duramente apontado como autoritário por ampliar o poder do Estado em setores estratégicos como o petróleo.

As últimas pesquisas mostraram que Correa lidera as intenções de voto com mais de 35 pontos à frente do seu mais rival mais próximo.

A eleição é vista como um referendo sobre a popularidade do único presidente que completou um mandato presidencial no Equador nos últimos 20 anos, em um país repetidamente golpeado por crises econômicas e políticas.

O presidente também quer ganhar a maioria na Assembleia Nacional com 137 assentos, que perdeu após antigos aliados passarem para a oposição. Isso lhe permitiria aprovar com facilidade novas reformas para consolidar sua agenda socialista.

Tudo o que sabemos sobre:
EQUADORELEICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.