VICTOR RUIZ CABALLERO/REUTERS
VICTOR RUIZ CABALLERO/REUTERS

Equipe resgata quatro corpos de vítimas de acidente de avião em ilha chilena

Com 21 pessoas a bordo, o avião foi localizado a cerca de 670 km da capital

Estadão.com.br,

03 Setembro 2011 | 10h00

SANTIAGO - Equipes de resgate encontraram neste sábado,3, parte da fuselagem de um avião que levava 21 pessoas e desapareceu nas redondezas de uma ilha chilena chamada Juan Fernández. Quatro corpos já foram resgatados, de acordo com as últimas informações da Força Aérea do Chile. Trata-se de duas mulheres e dois homens. Um deles é o apresentador de TV Felipe Camiroaga, popular no país.

 

 

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, definiu o acidente como "um duro golpe" para o país, segundo o jornal "El Mercurio". "Quero solidarizar com eles (famílias afetadas) e dizer que o país compartilha essa angústia e incerteza que vivem".

 

O diário La Tercera divulgou a lista das pessoas que estavam na aeronave. Além de Camiroaga, havia quatro pessoas da Televisão Nacional do Chile, seis da organização não-governamental Desafío Levantemos Chile, duas do Conselho da Cultura, duas da Força Aérea do Chile e seis da tripulação. A equipe da TVN planejava fazer uma reportagem sobre trabalhos de reconstrução da ilha, que foi castigada por violentas ondas após o terremoto de fevereiro do ano passado.

 

Durante a madrugada, equipes e lanchas participaram da operação de busca do CASA 212, que desapareceu na tarde de sexta-feira nas imediações do arquipélago , cerca de 670 quilômetros a oeste da capital chilena, no Oceano Pacífico.

 

Autoridades confirmaram mais cedo que encontraram uma porta e parte da bagagem do avião, que tinha tentado aterrissar duas vezes antes de perder contato às 17h48 no horário local (mesma hora em Brasília) da sexta-feira.

O secretário-geral da Força Aérea Chilena, Maximiliano Larraechea, admitiu que, antes da emissão de uma busca por satélite havia esperanças de um pouso de emergência, mas que agora "temos a convicção de que o avião caiu". 

No voo também estava o empresário Felipe Cubillos, que liderou campanhas de reconstrução do país após o terremoto e tsunami de 2010.

Sete aviões, fragatas e helicópteros participam das operações de resgate e uma embarcação da Marinha.

 

(Com agências)

Mais conteúdo sobre:
CHILEACIDENTEAVIAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.