Espanha quer enviar observadores para eleições na Venezuela

País sul-americano precisa autorizar envio de missão ao pleito legislativo de setembro

AP,

21 de julho de 2010 | 17h56

MADRI- O governo espanhol deseja enviar observadores para as eleições legislativas que ocorrerão em setembro na Venezuela, disse o ministro de Relações Exteriores espanhol, Miguel Angel Moratinos, citado pela agência Europa Press.

 

O governo da Espanha pediu ao da Venezuela que aceite o envio dos monitores, cuja missão é de "enorme importância e grande significado" para Madri, disse Moratinos na terça em uma sessão parlamentar, de acordo com a agência.

 

Segundo Moratinos, o governo espanhol trabalha "sempre" que sejam realizadas eleições na Venezuela, se as autoridades competentes desse país o aceitam, para que haja uma missão de observação internacional composta por deputados e senadores espanhóis.

 

O chanceler afirmou que o Conselho Nacional Eleitoral, "organismo independente do Executivo venezuelano", é o encarregado de autorizar essas missões, mas que o governo espanhol, tanto a nível bilateral como em representação da União Europeia, fez "gestões" para "solicitar a autorização dessa missão".

 

"Assim que tivermos uma resposta, a comunicaremos", disse Moratinos, que também declarou que o embaixador venezuelano na Espanha, Isaías Rodríguez, o disse que "vai redrobar" os esforços para que a Venezuela aceite a observação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.