Especialista anti-sequestro é sequestrado no México

Um consultor dos EUA que negociou a libertação de dezenas de vítimas de sequestro na América Latina foi sequestrado no México, disseram na segunda-feira as autoridades e a consultoria ASI Global, onde a vítima trabalha. O crime aconteceu na quarta-feira passada em frente a um restaurante de Saltillo, cidade industrial relativamente pacata no Estado de Coahuila (México). Felix Batista, de origem cubana e radicado em Miami, teria sido capturado quando deixou o restaurante para atender o celular, segundo a imprensa local. A embaixada dos EUA no México disse estar investigando e evitou fazer comentários. Uma fonte da procuradoria estadual de Coahuila disse que Batista pode ter sido vítima "do crime organizado, numa tentativa de mostrar seu poder". "Saltillo não é um reduto do sequestro", acrescentou a fonte. A ASI Global, com sede em Houston, negou relatos da imprensa mexicana de que Batista seria um ex-agente do FBI. A consultoria disse que ele fazia uma viagem particular a Coahuila, que fica perto do Texas, para dar seminários sobre segurança. Charlie LeBlanc, presidente da consultoria, disse ter pedido ajuda do FBI e das autoridades mexicanas. Centenas de pessoas são seqüestradas por ano no México, e o número aumentou muito porque as gangues do narcotráfico, acuadas pela repressão policial-militar, buscam novas fontes de rendimento. Parlamentares de Coahuila apresentaram na semana passada um projeto de emenda constitucional que institui a pena de morte para os traficantes que matarem suas vítimas. Mais de 5.300 pessoas já morreram neste ano por causa da violência provocada pelo narcotráfico no México, o que inclui disputas entre quadrilhas e confrontos entre bandidos e forças de segurança. (Reportagem de Robin Emmott)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.