Estado de Betancourt é muito delicado, diz médico das Farc

Cruz foi capturado no dia 29 de março e entregou à promotoria uma ficha médica da ex-candidata colombiana

Efe,

05 de abril de 2008 | 01h02

O suposto médico da cúpula das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) declarou nesta sexta-feira, 4, que o estado de saúde da ex-candidata presidencial franco-colombiana Ingrid Betancourt, seqüestrada desde 2002, é muito delicado, disseram fontes judiciais. O guerrilheiro Heiver Uriel Rodríguez Cruz foi detido na semana passada.  Veja também Colômbia pagará recompensa de US$2,7 bi por local de ReyesColombianos fazem manifestação por liberdade de sequestradosUribe revê soltura de porta-voz das Farc; Interpol ordena prisãoGuerrilha só libertará se houver troca de presosConheça a trajetória de Ingrid Betancourt Por dentro das Farc Entenda a crise  Histórico dos conflitos armados na região   Cruz, capturado no dia 29 de março perto de Bogotá por agentes da Promotoria colombiana, apresentou a esse organismo estatal uma espécie de ficha clínica de Ingrid Betancourt, a quem assegurou ter atendido, disse um porta-voz da entidade. De acordo com Rodríguez Cruz, a ex-candidata cativa sofre de desnutrição aguda, gastrite crônica com refluxo do esôfago, malária, síndrome do cólon irritável e dor aguda ao nível de hipocôndrio. O detido, de 54 anos, pertenceu à frente número 44 das Farc, de acordo com a Promotoria. Rodríguez não disse a data nem o lugar onde teria supostamente prestado atendimento médico à política seqüestrada. Cruz era seguido há mais de um ano, acusado de criar um centro médico nas montanhas do centro colombiano, que além de atender os líderes guerrilheiros, praticava abortos nas rebeldes. Ingrid, seqüestrada em fevereiro de 2002, está em más condições, segundo diversos testemunhos, e uma missão humanitária enviada pela França espera no estado de Guaviare que as Farc permitam e indiquem um local onde possa prestar assistência médica a ela. Por outro lado, um enfermeiro da cidade colombiana de San José de Guaviare assegurou que há cinco meses aplicou vacinas contra a febre amarela aos norte-americanos Keith Stansell, Thomas Howes e Marc Gonsalves, sequëstrados desde 2003 pelas FARC. Estes três reféns formam, juntamente com Ingrid Betancourt, a lista de 40 pessoas que as Farc querem trocar por 500 guerrilheiros pesos.    

Tudo o que sabemos sobre:
Ingrid BetancourtColômbiaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.