Estados dos EUA se preparam para abertura comercial com Cuba

Maryland e Virgínia 'percebem ventos de mudança' e esperam aumentar exportações, diz 'Washington Post'

Efe,

04 de maio de 2009 | 19h06

Os governos dos estados americanos de Maryland e Virgínia começam a se preparar para uma eventual abertura comercial dos Estados Unidos com Cuba, afirmou nesta segunda-feira, 4, o jornal The Washington Post. Os responsáveis governamentais pelo comércio nos dois estados, que ficam na costa leste americana, "percebem os ventos de mudança na relação tempestuosa dos EUA com Cuba" depois de quase 50 anos de embargo.

 

Veja também:

linkEUA querem Cuba como escravo, diz Fidel

 

Os produtores agropecuários de Virgínia já se beneficiam do relaxamento de algumas das regras do embargo. Em cinco anos, suas exportações para Cuba subiram de US$ 1 milhão para mais de US$ 40 milhões.

 

O comércio de Maryland com Cuba foi mais modesto, mas, mesmo assim, esse Estado gastou no ano passado US$ 6 mil em uma missão comercial que terminou com um acordo para a venda de feijão de soja por US$ 12,8 milhões.

 

"Há muito interesse", disse ao Washington Post Todd Haymore, comissário do Departamento de Agricultura e Serviços ao Consumidor na Virgínia. "Nos demos conta de que algo ocorrerá" durante o Governo do presidente americano, Barack Obama.

 

Em 2003, o estado da Virgínia vendeu para Cuba mais de US$ 838 mil dólares em feijão de soja e maçãs, a primeira exportação deste tipo desde que os EUA ampliaram seu embargo, em 1962. No ano passado as exportações dessa região americana para a ilha somaram US$ 40,7 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.