EUA aplaudem entrega de reféns e pedem outras libertações

País pediu libertação de todos os reféns, que incluem três funcionários do Pentágono seqüestrados em 2003

Efe,

10 de janeiro de 2008 | 16h25

O Governo dos Estados Unidos aplaudiu nesta quinta-feira, 10, a libertação de duas mulheres seqüestradas pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), e reiterou seu pedido ao grupo guerrilheiro para que também liberte os três americanos em seu poder.   Veja também: Mãe de Clara Rojas comemora libertação EUA aplaudem libertação Chávez diz que reféns já estão em liberdade Espanha confirma que menino é Emmanuel Saiba quem são as reféns Entenda o que são as Farc Cronologia: do seqüestro à libertação   "Damos as boas-vindas à libertação das reféns, e continuamos pedindo para que as Farc libertem todos os reféns em seu poder, incluindo os três americanos", disse uma porta-voz do Departamento de Estado, que pediu anonimato.   A fonte acrescentou que a política do Governo de Washington em relação às Farc "não mudou", e que o grupo continua figurando na lista de grupos que, segundo os Estados Unidos, estão envolvidos com o terrorismo.   Segundo a porta-voz, o Departamento de Estado americano acompanhou de perto a crise dos reféns, e espera que este seja o primeiro passo em direção a uma eventual libertação de Marc Gonsalves, Keith Stansell e Thomas Howes.   Os três funcionários do Pentágono estão nas mãos dos rebeldes desde fevereiro de 2003, quando o pequeno avião americano no qual viajavam, dentro de uma missão do chamado "Plano Colômbia", se acidentou, segundo a versão oficial, ou foi derrubado nas selvas do Caquetá, como afirmam os guerrilheiros.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.