EUA autoriza desocupação de embaixada na Bolívia

Os Estados Unidos autorizaram adesocupação parcial de sua embaixada na Bolívia, e recomendaramaos cidadãos norte-americanos que evitem viajar ao paíssul-americano, revelaram nesta segunda-feira boletinspublicados no site da representação diplomática. As decisões são consequência da violência política queabala a Bolívia e que causou uma crise diplomática com aexpulsão mútua de embaixadores de ambos os países. O embaixador norte-americano, Philip Goldberg, deixou aBolívia no domingo, depois de ser expulso pelo presidenteboliviano Evo Morales, que o acusou de estimular uma supostaconspiração da oposição conservadora interna. Um comunicado do chefe de segurança da embaixada, publicadona segunda-feira no site da representação diplomática, disseque "o Departamento de Estado autorizou a partida dosfuncionários que não são de emergência e de todos os familiaresdos funcionários das embaixadas na Bolívia". Além disso, o Departamento de Estado "sugere que todos oscidadãos norte-americanos evitem viagens não essenciais àBolívia e pede a todos os norte-americanos que já estão no paísque deixem o país caso a situação permita", acrescentou a nota. A embaixada norte-americana não atendeu o público bolivianona segunda-feira e provavelmente reabrirá na terça-feira,disseram fontes da representação diplomática. Além disso, os serviços do consulado estarão fechadosdurante a semana, pois é previsto que os empregados dessa árease dedicarão a facilitar a partida dos funcionáriosnorte-americanos e de suas famílias. Fontes diplomáticas que pediram anonimato confirmaram quegrande parte dos norte-americanos que trabalham na embaixadaestavam dispostos a deixar a Bolívia de imediato, embora comdificuldades, pois desde a semana passada, a empresa AmericanAirlines não opera mais no país. A embaixada norte-americana é de longe a maior entre asrepresentações diplomáticas na Bolívia e trabalha em programasde cooperação econômica, política e de segurança. Goldberg é o primeiro embaixador norte-americano a serexpulso da Bolívia em mais de um século de relaçõesdiplomáticas. (Por Carlos Alberto Quiroga)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.