EUA dizem estar dispostos a aumentar diálogo com Venezuela

Crowley afirma 'não ter problemas' com o país, que 'desempenha papel cada vez menos construtivo' na região

Efe,

25 de fevereiro de 2010 | 22h30

Os Estados Unidos declararam nesta quinta-feira, 25, que estão dispostos a elevar o nível de diálogo com a Venezuela, mas o país advertiu que esta vontade deve ser mútua.

 

Veja também:

linkChávez nomeia sétimo novo ministro no governo em um mês

linkRenúncia de governador de seu partido é 'natural', diz Chávez

linkGestão de Hugo Chávez está enfraquecida, dizem especialistas

 

Em uma conversa com jornalistas, o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Philip Crowley, se referiu aos contatos dos Estados Unidos com nações com as quais o país tem conflitos, como o Irã, Coreia do Norte, Cuba e Venezuela.

 

Os Estados Unidos não fazem exclusões e "temos mantido estes contatos com vários países, muitos dos quais discordam conosco em diversos temas", disse Crowley.

 

No caso da Venezuela, o porta-voz indicou que não há problemas com esse país, com o qual existem relações diplomáticas.

 

"Temos um embaixador em Caracas. Temos a capacidade de nos comunicarmos com a Venezuela... Se buscam alianças e agendas comuns para a região. Esta é uma via de mão dupla", afirmou Crowley.

 

O funcionário abordou a relação com a Venezuela ao indicar que, caso o presidente Hugo Chávez queira ter um contato em mais alto nível, os EUA "estão abertos para tê-lo".

 

"Quando olhamos para a região, a Venezuela se distancia e desempenha um papel cada vez menos construtivo", finalizou Crowley.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAVenezueladiálogoHugo Chávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.