EUA iniciam novo programa de vistos para cubanos

Cerca de 40 mil cubanos podem ser enquadrados no novo programa de reunificação familiar

BBC Brasil,

11 de abril de 2008 | 07h40

O governo americano começou na quinta-feira, 10, a emitir vistos para cubanos que têm familiares residentes nos Estados Unidos, dentro de um novo programa de reunificação familiar. Segundo funcionários da representação diplomática de Washington na capital cubana, Havana, cerca de 40 mil cubanos poderão ser enquadrados nas exigências do programa, que foi anunciado no final do ano passado.   Veja também: Cuba elimina limitações salariais em nova reforma Raúl reforma programa dos médicos da família Intelectuais de Cuba fazem críticas, mas elogiam as reformas Cuba anuncia canal de TV com conteúdo estrangeiro Filha de Raúl Castro luta pelos direitos dos gays em Cuba   Atualmente, o processo de pedido de visto americano para os cubanos pode levar de três a sete anos para ser finalizado. Com o novo programa, esse processo poderá ser feito em apenas alguns meses.   Um acordo entre Estados Unidos e Cuba permite que até 20 mil cubanos emigrem legalmente para a cada ano. Um dos objetivos do novo programa é desencorajar o crescente número de imigrantes ilegais.   Segundo autoridades americanas, neste ano houve um aumento de 21% no número de cubanos tentando chegar aos Estados Unidos por via marítima, em barcos e lanchas. Havana acusa o governo americano de encorajar os cubanos a arriscarem suas vidas tentando emigrar, já que os que conseguem completar a travessia recebem facilmente permissão de residência nos Estados Unidos.   O governo americano não anunciou, no entanto, planos de levantar as restrições a visitas de cubanos que vivem nos Estados Unidos a seus familiares em Cuba. Eles só têm permissão para visitar ilha a cada três anos.     Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.