Evo é culpado por mortes de 'outubro negro', diz ex-ministro

Quem tem que ir para prisão é presidente boliviano, afirma Carlos Sánchez Berzaín; 60 morreram em protestos

Efe,

18 de maio de 2009 | 19h31

O ex-ministro da Defesa da Bolívia Carlos Sánchez Berzaín, acusado de "genocídio" pelo chamado "outubro negro" de 2003, disse nesta segunda-feira, 18, em entrevista para um canal de TV nos Estados Unidos que o culpado do delito é o presidente Evo Morales. "As mortes foram causadas por Evo Morales. Quem tem que ir para prisão é Evo Morales", disse ao canal Unitel Sánchez Berzaín, sobre o atual presidente, que em 2003 foi o principal impulsor dos protestos sociais cuja repressão provocou mais de 60 mortes.

 

Nesta segunda, começou em Sucre o julgamento contra o governo do ex-presidente Gonzalo Sánchez de Lozada pelas mais de 60 mortes ocorridas em outubro de 2003. A audiência começou com a ausência do ex-chefe de Estado, que reside nos EUA desde que, em outubro de 2003, abandonou a Bolívia.

 

Também estão fora da Bolívia três de seus ex-ministros, que vivem nos EUA, entre eles Sánchez Berzaín. As mais de 60 mortes aconteceram durante a repressão a uma onda de protestos sociais entre setembro e outubro de 2003, contra um projeto de exportação de gás para os EUA através de portos do Chile.

Tudo o que sabemos sobre:
Evo MoralesBolívia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.