Evo envia missão à OEA para denunciar violência da oposição

Presidente boliviano afirma que direita do país recorre aos confrontos para impedir processo de mudanças

02 de dezembro de 2007 | 21h41

O governo do presidente da Bolívia, Evo Morales, enviou uma comissão à Organização dos Estados Americanos (OEA) para denunciar que a oposição "semeia violência para colher mortes", informou neste domingo, 2, o ministro Alfredo Rada.   Veja também: Especial: Tensão na América do Sul    Rada não deu detalhes sobre quem forma a missão ou quando partiu rumo a Washington, mas disse que acusará os governadores regionais opositores de manter "uma estratégia extremamente perigosa" para o país.   Em declarações à rádio estatal "Pátria Nova", Rada sustentou que será denunciado "que a oposição conservadora na Bolívia" recorre à violência de grupos de choque para impedir o processo de mudança, "desgastar o presidente Evo Morales e gerar condições para uma crise política".   O clima de crescente violência produziu nas últimas horas confrontos que deixaram dez feridos na cidade de Cobija, na fronteira com o Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.