Evo marca diálogo com oposição após vencer referendo

Presidente da Bolívia teve mandato ratificado por 63% dos eleitores na votação de domingo

AP, AP

12 de agosto de 2008 | 02h30

O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse na noite de segunda-feira,11, que ele está pronto para sentar e negociar com a oposição após o fim da apuração do referendo que o manteve no poder no país andino. Com 60% das urnas apuradas, o primeiro presidente indígena da história da Bolívia obteve apoio de 63,5% dos eleitores. Evo disse que representa toda a família boliviana e que não se curvará a interesses egoístas. Evo pretende conversar com os governadores e outros movimentos sociais após o fim das apurações. Ele acrescentou que presidentes da Venezuela, Chile, Argentina e Equador lhe parabenizaram pela vitória e reafirmou seu compromisso de erradicar a miséria da Bolívia, que atinge um terço da população. Governadores do leste do país, onde se concentram as reservas de gás natural, são contra o controle do governo central sobre a renda na exploração do produto. O governo esquerdista de Evo tem injetado parte desta verba em programas sociais. O chefe da Organização dos Estados Americanos, Eduardo Stein, que trabalhou no referendo como observador internacional, afirmou que o resultado é uma chamada ao diálogo. 'As pessoas estão pedindo com este referendo que seus líderes encontrem uma maneira de chegar a um acordo'O governo dos EUA manifestou apoio a iniciativa da OEA e da Igreja de criar um diálogo franco no país, que está dividido sob o comando de Evo. 'reiteramos nosso apoio pela unidade boliviana e continuamos com o compromisso de ser um bom parceiro para o futuro próspero e democrático do país', disse o porta-voz do Departamento de estado, Robert Wood.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.